People & Arts

Ivo Tavares - De Toronto a Nova Iorque

Ivo Tavares - De Toronto a Nova Iorque

Ivo Tavares e Sofia Alves, estão a dar a volta ao mundo, tendo como missão fotografar casamentos na companhia de uma Fujifilm X-T2. Esta é a sua primeira crónica de viagem, que vamos publicar aqui na xplatform à medida que a viagem se desenrolar.

Desde que nos conhecemos que andávamos a planear esta viagem. Queríamos mais do que viagens isoladas no tempo. Queríamos estar fora e ter oportunidade para viver outras experiências que umas férias organizadas nem sempre permitem. Achávamos que estávamos preparados, 3 anos de preparação. Gostávamos de juntar a viagem a uma paixão antiga: casamentos. Decidimos que iríamos tentar fotografar um casamento em todos os países que visitássemos.

Mas nada ocorre como planeamos. Descobrimos rapidamente que viajar não é o mesmo que ir de férias. Começamos a nossa viagem pelo Canadá. Era fácil porque tínhamos amigos e família lá que nos iam ajudar a conseguir um carro para fazer a viagem. Levamos a Duna já que os países que íamos visitar eram tranquilos na importação de animais e de carro seria fácil para ela.

Fazer as malas foi um desafio. Além de roupa para o calor e algumas poucas coisas para o frio, queríamos levar livros, e claro o material fotográfico. A Sofia recebeu uma Instax mesmo antes da viagem e trouxemos connosco para tirar fotografias com aquelas pessoas que se iam convertendo em nossos amigos e que queríamos guardar no coração. Com a Instax antes de ir tiramos algumas fotos a amigos e familiares para levar na carteira. Depois numa pequena mochila metemos a XT-2 e as objetivas:14mm f2.8; 50-140mm f2.8; 56mm f1.2; 18-55 f2.8-4 e um flash ef-x8. É ótimo fazer uma viagem destas e não ter que carregar uma mochila pesada. Com a XT-2 íamos poder fazer incríveis fotos, com as costas leves e sem dar nas vistas.

Começamos em Toronto, tão multicultural. Fomos para Sudbury, uma pequena cidade mais a norte, onde estava a nossa carrinha no mecânico. Ficamos lá quase 15 dias e fomos encontrando forma de aproveitar esse tempo a nosso favor, experimentando a XT-2. Saímos em direção à Toronto para depois descer para as cataratas do Niagara e finalmente Nova Iorque.

Mas a vida surpreendeu-nos, de Toronto voltamos uns 50kms para trás porque queríamos ver um incrível por do sol e a carrinha avariou nessa cidade. Se a vida prega partidas esta foi sem dúvida uma boa para nós. A realidade, é que ao avariar em Aurora tivemos um apoio incrível de todos e o mecânico era excecional. Caso estivéssemos em Toronto não teríamos as mesmas condições. Ficamos 15 dias à espera que tudo se resolvesse.

Fomos às cataratas do Niagara não podíamos perder. Mas, entretanto, já tínhamos mudado o percurso e íamos seguir para Montréal e depois aí sim, Nova Iorque. Montréal arrebatou-nos. O seu lado cultural, artístico, as suas ruas cheias de vida, história fazem com que um se queira perder. É o cocktail perfeito entre ser Canadiano e Europeu salpicado por outras nacionalidades que habitam a cidade.

Começar no Canadá foi uma ótima decisão. País seguro, com pessoas amorosas, sempre dispostas a ajudar, natureza, e cidades vibrantes, mas já tínhamos passado mais de um mês no Canadá, por causa da carrinha, e tínhamos que seguir.

Entramos nos Estados Unidos por terra, toda uma nova experiência fazer uma fronteira terrestre. Fomos percorrendo o estado de Nova Iorque. É um estado que vive ofuscado pela cidade que lhe dá o nome. Que paisagens incríveis. Foi quase uma semana até chegar à sua capital. Íamos ter o nosso primeiro casamento, ainda não sabíamos o dia ao certo.

Os noivos, israelitas iam casar à cidade que nunca dorme. Queriam fugir dos tradicionalismos e obrigações religiosas do seu país. Iam os dois sozinhos e nós também íamos ser as testemunhas. Pleno mês de agosto, calor e humidade de 100% foi o tempo que tivemos para o casamento. Vestimo-nos a rigor, levamos a XT-2 e fomos para o Central Park fotografar, o casamento seria apenas por volta do meio-dia. Cheios de calor fomos para o City Hall onde se realizou a cerimónia. Havia muitos outros casais, uns com família e amigos, outros sozinhos só com os fotógrafos. Fomos almoçar com a noiva a Chinatown e nem por estarmos numa área menos nobre nos sentimos ameaçados já que a XT-2 é discreta e silenciosa ao contrário das outras DSLR.